Saiba quais são as alergias de verão e cuide-se!

Alergias de verão

Alergias de verão e cuide-se!

Verão… é tempo de sol e calor, a época preferida do brasileiro. Mas a estação do ano mais esperada também pode trazer alertas e é preciso ficar atento às alergias de verão e se cuidar, principalmente se você for viajar.

Areia, sol, calor e produtos para proteção são ingredientes-chave para estartar uma alergia, se você não tiver cuidado.

São duas as principais alergias nessa estação do ano: Dermatite de contato e alergias alimentares. Nos dois casos, o cuidado é a principal forma de prevenção.

Alergias de verão e cuide-se!

Dermatite de contato

A dermatite de contato é a principal alergia de verão e é causada pelo contato com produtos químicos – eles podem estar na areia contaminada, por exemplo, e nos protetor solares.

“O que causa a alergia é o contato com o produto, o alérgeno, mas a radiação solar pode agravar a reação alérgica e piorar os sintomas e efeitos”, explica o especialista em alergia e imunologia da Alergoclínica, Dr. Luiz Melo.

Em todos os casos, o diagnóstico prévio do que causa a dermatite é essencial para evitar problemas na praia. Testes cutâneos e exames laboratoriais vão ajudar a definir o que causa a alergia e identificar produtos hipoalergênicos que não causarão dermatite.

Alergia alimentar

Esse tipo de alergia é uma reação do nosso corpo a algo que comemos. Para a maioria das pessoas aquele alimento não traz problemas, mas, para outras, é considerado um alérgeno e causa reações que podem levar até à morte.

Existem mais de 170 alimentos conhecidos por causar reações alérgicas. No entanto, o amendoim, os crustáceos, o leite de vaca e as nozes são os alimentos que com maior frequência provocam reações graves (anafiláticas).

Alergias de verão

“O verão aumenta os casos de alergias alimentares porque é quando a maioria das pessoas viaja e come frutos do mar, que são os alimentos que causam as piores reações”, explica Dr. Luiz Melo.

E o alergista faz um alerta: “As alergias alimentares podem ser muito graves e pioram a cada contato com o alérgeno. Se você se sentir mal, não menospreze a reação e não corra para a farmácia, vá direto para o hospital”.

A prevenção da alergia alimentar é evitar o contato com o causador da alergia. Tomar antialérgico antes e depois de comer o que causa a reação é perigoso e não é indicado pelos médicos.

Como identificar a alergia

No caso das dermatites, a reação é fácil de identificar. A pele inflama, coça, pode haver formigamento, queimação e erupções. O inchaço também é comum na área que teve contato com o produto e nos olhos, lábios e garganta.

Se começar a coçar, você retirar o produto, lavar e parar, não se preocupe. Mas, se a coceira e a vermelhidão continuarem, aquele é um sinal de reação alérgica e ela pode piorar com o passar das horas.

Alergias de verão

Calor e radiação solar aumentam as reações alérgicas.

No caso das alergias alimentares, os sinais vão de inchaço, erupções na pele e dores de cabeça a dificuldade de respirar, letargia, vermelhidão generalizada na pele e inconsciência.

Alerta importante

Se você tem alergia alimentar e já sabe disso, evite comer os alimentos que provocam a reação em você. Avise no restaurante que você é alérgico e nunca menospreze uma reação alérgica.

Uma moqueca de peixe temperada juntamente com uma de camarão e o simples contágio de uma colher pode ser fatal.

Se a reação surgir, vá para um hospital. Só um médico poderá conter a reação alérgica e cuidar da sua saúde nesses casos.