Saúde Mental x Mercado de Trabalho

Saúde Mental x Mercado de Trabalho

Saúde Mental x Mercado de Trabalho


Atualmente, quem busca por trabalho deve se atentar ao cuidado com a saúde mental, além das aptidões curriculares.


Tempo de leitura: 3 minutes

Os candidatos a uma nova vaga de trabalho devem se atentar para o equilíbrio emocional e as empresas também precisam investir nesse tipo de auxílio às suas equipes

Segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o ano de 2020 bateu o recorde de 576,6 mil concessões de auxílio-doença e aposentadorias por invalidez devido a transtornos mentais e comportamentais.

Diante dessa informação, o especialista em empregabilidade e capital humano, Rogerio Bragherolli, alerta sobre a importância do cuidado com a saúde mental tanto pelos próprios candidatos a uma vaga de emprego

Que precisam demonstrar confiança em entrevistas virtuais, quanto pelas empresas que deve investir em auxílio profissional especializado tanto quanto investem em tecnologia, por exemplo.

Saúde Mental x Mercado de Trabalho

Bragherolli explica que, “no momento da entrevista, o recrutador está atento a todos os detalhes que vão do comportamento à maneira de se expressar e pensar.

Cada vez mais há integração entre profissional e pessoal, por isso, questões ligadas à rotina em casa e com a família podem dar indícios de transtornos emocionais que refletem no desempenho do trabalho”.

Para quem vai participar de um processo seletivo, o economista especialista em empregabilidade lista orientações importantes: 

Auxílio psicológico especializado: o candidato deve estar disposto a procurar ajuda terapêutica especializada simplesmente pelo momento em que a sociedade vive.

Durante a pandemia, muitos profissionais criaram grupos virtuais de apoio, inclusive gratuitos. Basta procurar por um que se identifique e possa trocar ideias. Isso certamente será notado pelo recrutador.

Exercícios físicos: a saúde mental e a física são aliadas. Portanto, manter atividades físicas são essenciais.

Elas proporcionam melhora no sono e na ansiedade, por exemplo, controlando possíveis transtornos emocionais.

Relaxamento: é necessário demonstrar equilíbrio emocional, e uma das melhores técnicas para se conquistar esse controle é a meditação. Existem vídeos gratuitos e confiáveis na internet que podem auxiliar essa prática.

Alimentação: o equilíbrio entre saúde física e emocional também são interferidos pela alimentação. O ideal é priorizar, sempre que possível, por alimentos saudáveis.

Diferenciação: buscar uma diferenciação individual, diante de todas as situações que estão acontecendo. O candidato tem que procurar algumas competências que podem favorecê-lo diante dos concorrentes.

Trabalhando a resiliência, sabendo suportar as pressões com autocontrole e autoconhecimento, além de buscar informações de qualidade e fugir das fake News são algumas dicas.

Bragherolli ressalta que é importante trabalhar a inteligência emocional, empatia e fazer mais com menos.

 “Estar atento a esses cuidados certamente fará diferença na decisão da empresa”, lembra o especialista em empregabilidade.

Sobre Rogério Bragherolli
 Com know-how de 35 anos no mercado corporativo, Bragherolli atuou nos últimos anos como diretor sênior e vice-presidente de RH em multinacionais e tornou-se uma notoriedade em estratégias relacionadas a employee experiência, gestão de pessoas e carreiras. 
 Em sua trajetória, contabiliza mais de 2 mil entrevistados dos mais diversos perfis e para diferentes cargos de atuação.