Sites para encontrar trabalho freelancer

freelancer

Freelancer


Para alguns profissionais, as oportunidades para trabalhar remotamente são inúmeras

E há boas opções para quem está com dificuldade de arrumar um emprego formal ou quer ter mais autonomia profissional, com a comodidade de trabalhar em casa.


Selecionamos algumas ferramentas que ajudam a encontrar trabalhos freelancers

A pandemia de Covid-19 tirou aproximadamente nove milhões de empregos de brasileiros em 2020.

Diante desse cenário, desbravar o mercado freelancer foi a alternativa para muitos profissionais conseguirem manter as contas em dia – seja para driblar o desemprego ou a redução de salário imposta pela situação atual.

Freelancer

As principais características do trabalho de freelancer estão alinhadas às demandas do momento, especialmente, pelo fato de não exigir contato físico.

Trabalhar em casa, não ter que enfrentar o trânsito e poder desfrutar de mais tempo para a família e para o autocuidado são pontos sedutores para os profissionais já exaustos do dia a dia corporativo.

Abandonar a segurança da CLT e embarcar no mundo do trabalho autônomo requer resiliência e planejamento para enfrentar os períodos de escassez que eventualmente podem acontecer.

Freelancer – SEBRAE

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) orienta o freelancer a estabelecer horários de lazer e trabalho, organizar-se, criar um portfólio, definir um local para trabalhar, regularizar sua atividade como microempreendedor individual (MEI), guardar dinheiro para emergências, atualizar-se, diversificar sua atuação profissional, traçar metas e usar as ferramentas corretas.

Para quem possui essas características e está disposto a enfrentar um mercado cada vez mais competitivo, há opções de plataformas digitais que unem os profissionais freelancer e os clientes em potencial.

Para fugir da sobrecarga brasileira, procurar oportunidades fora do país é uma alternativa possível para quem domina outro idioma.

Há oportunidades para diversas áreas, mas as mais procuradas são redação, social media, designers, tradução, fotografia, edição de texto e de vídeo, programação, desenvolvimento de games, análise de dados, jornalismo, marketing, TI, arquitetura e engenharia.

Freelancer – Plataformas

Uma das mais conhecidas plataformas de freelancers, a Workana tem um cadastro mais caro, quando comparado às demais, no entanto, também apresenta um leque maior de áreas e oportunidades.

O profissional preenche um cadastro e fica apto a participar da concorrência. O cliente (empresa ou pessoa física) publica um projeto a ser executado e aguarda as propostas dos freelancers.

Assim como no mundo real, quem estiver mais alinhado à demanda e com o melhor preço é contratado, portanto, a precificação precisa ser criteriosa e competitiva – especialmente no começo, quando o profissional ainda é novato na atividade ou na plataforma.

A Freelancer oferece duas opções de cadastro: o gratuito e o pago, que traz as opções mais interessantes para os profissionais.

O destaque dessa plataforma é que ela não foca somente em profissionais de comunicação, há oportunidades para as áreas de contabilidade, vendas, engenharia e mesmo serviços jurídicos.

Lá é possível certificar as habilidades profissionais por meio de um teste. Os aprovados ganham um selo, atestando a competência para aquela atividade, o que pode ser um diferencial para o contratante.

Além do site, a Freelancer conta ainda com um aplicativo de celular para o cadastro, facilitando a busca por novos projetos.

Ao contrário das outras, essa é uma plataforma exclusiva para quem tem domínio do inglês, pois, todos os trabalhos são nesse idioma.

O lado bom é que o pagamento é feito em dólar, sendo cobrada uma taxa de 20% dos primeiros US$ 500 recebidos pelo profissional.

Essa é uma boa opção para profissionais de escrita, tradução, marketing, design, mobile, software, desenvolvimento web, serviços jurídicos, entre outros.

A Fiverr conecta produtores e clientes em potencial em diversas partes do mundo. Nela é possível comprar ou vender serviços digitais em todo o globo por valores competitivos – a partir de U$ 5.

A plataforma é intuitiva e deixa todas as informações importantes – como taxas cobradas, valores e forma de pagamento – bem acessíveis para o profissional freelancer.

O cadastro na plataforma é gratuito e precisa ser aprovado. Para começar a receber pelos serviços prestados por meio da Fiverr, é necessário vender um gig (do inglês: ‘bico’).

Para isso é necessário publicar um projeto avulso, contendo informações detalhadas sobre o serviço a ser oferecido para ter mais chances com os clientes. Depois que o gig é vendido, o profissional tem acesso à plataforma para divulgar seus serviços.

Um dos diferenciais da Fiverr é que é possível oferecer diferentes pacotes para um mesmo tipo de serviço, divididos em “Básico”, “Standart” e “Premium” – cada um com ofertas e preços específicos de acordo com as atividades a serem desenvolvidas.

Sobre o assunto
Áreas que mais contratam freelances no Brasil