Textos cruéis demais para ficarem fora da lista dos mais vendidos

Textos cruéis demais


Igor Pires e Gabriela Barreira, campeões de vendas em 2018 com ‘Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente’, colocam novo livro na lista junto com mais duas autoras, Leticia Nazareth e Malu Mor

Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente

Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (Globo Alt) foi o livro de Ficção mais vendido no ano passado, segundo a nossa apuração.

Foram mais de 110 mil cópias vendidas ao longo de 2018. Nessa semana, o coletivo por trás do livro lança um segundo tomo: Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: Onde dorme o amor (Globo  Alt), que acaba de estrear na Lista dos Mais Vendidos, ocupando a posição de número 12 da categoria.

Foram 583 exemplares vendidos na sua estreia. O volume traz uma coletânea de textos inéditos escritos por Igor Pires, Leticia Nazareth, Gabriela Barreira e Malu Moreira com ilustrações de Júlio Almeida.

Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente  – Segundo Volume

Agora é esperar para ver se o segundo volume bate as vendas do primeiro, cujos números seguem muito bem, obrigado. Em 2019, já foram 8.746 exemplares vendidos; quarto lugar da incipiente lista anual na categoria Ficção.

No geral e na comparação com a semana passada, os números de vendas apresentaram queda de 11%. Infantojuvenil (-26%) foi a categoria que mais padeceu. Paradoxalmente, é dela que vieram outras duas novidades do período.

O selo Usborne, da Nobel, emplacou duas novidades: Histórias para os mais novinhos, na 18ª posição, com 329 cópias vendidas, e Meu livrão musical: Teclado, na 20ª, com 290.

A coragem de não agradar (Sextante) completa o time de estreantes da semana. Foram 447 cópias vendidas, número suficiente para colocá-lo na 14ª posição da Lista de Autoajuda.

O Ranking Geral segue liderado pelo até agora inoxidável A sutil arte de ligar o foda-se (Intrínseca). Foram 9.460 cópias vendidas. O milagre da manhã (BestSeller / Record) continua na segunda posição, com 5.538 e Me poupe! (Sextante) também não saiu do terceiro lugar, com 4.106.

O Ranking das Editoras permanece liderado pela Sextante, que emplacou 27 títulos na semana. A Intrínseca, com 13, ficou em segundo lugar e o Grupo Companhia das Letras, com 10, fechou o período no terceiro lugar.

Ultimas matérias