Um tour por Portugal – por FARO, MÉRTOLA E ÉVORA e FÁTIMA

Um tour por Portugal por FARO

Um tour por Portugal FARO, MÉRTOLA E ÉVORA e FÁTIMA

Nossa amiga Claudia Dias vai nos apresentar e comentar sua viagem por varias cidades de Portugal.

E se você perdeu o inicio dessa jornada leia aqui
Um tour por Portugal AlgarveUm tour por Portugal – Por Claudia Dias

Um tour por Portugal – LAGOS, CABO DE SÃO VICENTE, ALBUFEIRA

Dia 05/09/19

FARO, MÉRTOLA E ÉVORA

Saímos de Parchal, passamos por Faro, capital do município de Algarve. Toda região tem suas casas pintadas de branco e muitas com pó de cal, que solta em sua roupa ou qualquer outro objeto que encostar nas paredes.

Para entrar no centro histórico de Faro passamos por um portal, arco da vila. Fomos até a catedral e voltamos para conhecermos a orla, de onde se vê muitas embarcações, como veleiros, iates, lanchas, atracados na marina.

Seguimos nossa viagem até o Alentejo. Fomos ao extremo sul de Portugal, na região de Algarve e partimos para o Norte, passando pelo Centro de Portugal, região Alentejana.

Às margens do rio Guadiana, visitamos MÉRTOLA, antiga cidade muçulmana, cuja igreja foi uma mesquita, suas muralhas e suas ruas brancas.

Nesta cidade compramos um vinho muito bom, com o nome Discórdia, da produção de um conhecido nosso chamado Miguel Alho, que até então não era vendido no Brasil, assim como muitos outros vinhos portugueses maravilhosos que bebemos lá.

Comemos um bolinho de bacalhau e um gostoso e refrescante vinho branco, no café Guadiana.

A partir da região Alentejana já muda a vegetação com plantações de parreiras, azeitonas e pêssegos. Muitos agricultores nessa ou em outras regiões de Portugal vendem as uvas para produtores de vinhos.

Um tour por Portugal – por FARO, MÉRTOLA E ÉVORA e FÁTIMA

Seguimos para Évora – cidade declarada Patrimônio da Humanidade com suas casas brancas, seus palácios renascentistas, sua catedral e a Igreja de São Francisco, com a impressionante Capela dos Ossos, construída com aproximadamente 5.000 esqueletos.

Évora, considerada a capital administrativa da região do Alentejo, é toda cercada por muralha, com ruas estreitas, muito parecida com Avinhão ou Avignon, na França.

O Sol e o calor estavam escaldantes, insuportáveis, de tirar o ânimo de qualquer um, estávamos sem coragem de sair da pouca sombra que havia na porta da Igreja de São Francisco, sem saber o que fazer para irmos conhecer o restante da cidade,  quando vimos chegar um tuk tuk e uma de nós teve a brilhante ideia de irmos nesse veículo, mas éramos cinco, teria que ser um especial, tamanho família, então o motorista fez contato com um colega para nos pegar e foi nossa salvação, depois de um tempo ele chegou, negociamos o preço e ansiosas entramos naquele veículo salvador.

Mesmo com um calor absurdo, que me deixava desanimada, quase desfalecendo,  fizemos o passeio de tuk tuk, que valeu muito à pena, pois fizemos um tour pela cidade murada, por suas ruas estreitas, casas de pedras, fomos aos principais pontos turísticos, a partir da capela dos ossos e capela de São Francisco de Assis.

Passamos pelo Enoteca da Cartuxa, onde compramos um vinho branco Pera Manca e alguns souvenires, inclusive um abridor de vinhos oficial com o nome da Cartuxa.

O vinho, tomamos no bar do hotel, sem cobrança de rolha, suave, amanteigado, acidez e taninos redondos, de beber vagarosamente, sentindo e saboreando bem devagar. Apreciamos muito beber esse vinho, ao ar livre, nas espreguiçadeiras à beira da piscina e fizemos desse momento, como tantos outros, divertido e feliz, com muitas fotos.

Hotel: M´ar de Ar Muralhas, lindo, charmoso e confortável, melhor hotel, até o momento. Jantamos pratos deliciosos no restaurante do hotel, saborosos, bonitos, bem decorados.

Após o jantar fomos curtir as áreas externas do hotel e fomos caminhando despretensiosamente pela rua, apreciando a arquitetura das belas casinhas, quando escutamos um som de musical, que nos levou a uma praça e tivemos uma bela surpresa ao ver uma orquestra que se apresentava naquele momento e por ali ficamos apreciando uma boa música, numa atmosfera adorável.

Um tour por Portugal – por FARO, MÉRTOLA E ÉVORA e FÁTIMA

Dia 06/09/19

MARVÃO, CASTELO DE VIDE, TOMAR E FÁTIMA

Saímos de Évora e seguimos viagem pela província do Alentejo, entre as belas paisagens do Alentejo, com muita vegetação de sobreiros, azinheiras e oliveiras. Os sobreiros podem viver por mais de mil anos, sensível ao frio, suportam a seca sem perder as folhas, como as azinheiras e oliveiras.

Passamos pela cidade Estremoz, muito bonitinha, região com muitos vinhedos e onde fabricam os vinhos da região do Alentejo.

Passamos próximo à fronteira da Espanha, interligada por uma ponte de aproximadamente 1 km, que liga à cidade de Mérida. Além de outros acessos entre Portugal e Espanha.

Segundo nosso guia, Extremadura produz a melhor carne da Europa, macia e de sabor intenso, porque as vacas comem os frutos das azinheiras.

Passamos por Portalegre, cuja economia é de produção de vinho, leite e cortiça.

A partir de Portalegre pegamos uma estrada local de serras, lindíssima, cheia de sobreiros e carvalhos.

Paramos em Marvão, do século 9 d.C., pequeno vilarejo rodeado por muralhas, muito pitoresco, que nos oferece uma fantástica vista panorâmica da região.

Foi construída sobre a montanha, a 860 mts de altitude, no topo da Serra do Sapoio e tem apenas uns 500 moradores. Região dos cavalos lusitanos e do porco preto. Fica a 10 km da Espanha. Fazem festas das castanhas e festas medievais. De lá se vê a Serra da estela com mais de 1.000 mts de altitude.

A vila é linda, com pequenas ruas estreitas e íngremes, e tem uma vista belíssima para o vale do Alentejo.

Após Marvão, fomos a Castelo de Vide – com seu castelo e sua antiga judiaria, visitamos a antiga sinagoga (hoje museu) e passeamos pelo labirinto de ruelas da cidade.

É uma pequena vila na região das montanhas do Alentejo. Simpática cidade, com pequenas ruas, também com uma bela vista do vale do Alentejo vista do alto das ruinas do castelo.

Almoçamos numa feira típica da cidade, numa barraca chamada Pata Negra, que serve pratos feitos com carne de porco, deliciosos. Tomamos uma sangria de vinho branco deliciosa, refrescante, frutada com hortelã, servida em jarro de barro, assim como os pratos e copos são feitos de barro de cerâmica, bem no estilo medieval.

Na vila, algumas casas possuem placas com a classificação de casa com a frete mais cuidada, algumas com flores e rosas plantadas em pequenos espaços entre as pedras.

As vilas do Alentejo são típicas, as casas são antigas, mantidas sua tradição, pintadas de branco e sua população é envelhecida, a região é bem mais fresca que a região sul, por ser mais alta. Nesta época, todo Portugal ainda está muito quente, chegando próximo aos 40 graus em algumas regiões.

A vista do vale e do rio Tejo é belíssima e é o maior rio de Portugal.

Saindo da região do Alentejo passamos para a região do Ribatejo.

Após o almoço seguimos para TOMAR, cidade dominada pelo CONVENTO DE CRISTO, antigo castelo-convento dos templários (século XII – século XVIII).

É a denominação atribuída a um conjunto de edificações históricas. Construído ao longo de centenas de anos por alguns dos mais importantes mestres e arquitetos a trabalhar em Portugal.

Este conjunto arquitetônico inclui edificações diversificadas, quase todas de notável relevância patrimonial, podendo destacar-se o castelo medieval e a Charola templária, os claustros quatrocentistas, a igreja manuelina e o convento renascentista.

A sua configuração presente reflete as sucessivas funções a que se destinou e as tipologias arquitetônicas dos períodos históricos em que foi edificado.

Nele podemos encontrar elementos tipicamente românicos, góticos, manuelinos, renascentistas, maneiristas e do chamado estilo chão.

O Convento de Cristo destaca-se como um dos mais importantes conjuntos monumentais existentes em território português e encontra-se classificado como Monumento Nacional (1910) e como Património Mundial (1983) (Origem: Wikipédia).

Na saída do castelo havia alguns senhores e senhorinhas com quiosques ou carrinhos de frutas da região, frescas ou desidratadas, belíssimas e deliciosas, inclusive pêssegos e figos enormes, lindos e deliciosos.

FÁTIMA – Em primeiro lugar fomos a ALJUSTREL, a aldeia onde nasceram os três pastorinhos, Francisco, Jacinta e Lúcia, e visitamos a casa de Lúcia e dos demais pastorinhos, depois fomos ao Santuário de Fátima, onde assistimos uma linda missa, em que tocaram um órgão belíssimo.

A catedral de Fátima é bela e transmite uma energia de paz, proporciona um momento para retiro espiritual. Lá, nas laterais próximas ao altar, estão os túmulos dos três pastorinhos.

No pátio do santuário há uma grande árvore de Azinheira, que está associada às aparições de Nossa Senhora de Fátima.

À noite, minhas amigas participaram da procissão das velas e foram às lojinhas comprar terços e outros acessórios religiosos, como também artesanatos. Eu não pude participar porque fui encontrar meu sobrinho, sua mãe e família que moram na cidade de Fátima.

Na casa deles há diversos pés de frutas deliciosas, como uva, pera, maçã e muitas outras. Fui presenteada com essas frutas, um vinho do porto da casa Ferreirinha e um vinho tinto português, que foram saboreados com minha prima e amigas no decorrer da viagem.

Hotel: Em Fátima ficamos no hotel Santa Maria****. Excelente hotel ao lado do Santuário de Fátima.