Urubus e o universo dos pichadores de São Paulo

Urubus e o universo dos pichadores de São Paulo - Cultura Alternativa

URUBUS, primeiro longa-metragem dirigido por Claudio Borrelli, tem ao centro o universo dos pichadores da cidade de São Paulo.

O diretor Claudio Borrelli trabalhou em parceria com pichador e artista plástico CRIPTA Djan

O longa, que já passou por diversos festivais pelo mundo, agora, faz sua estreia nacional na 45a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, e conta com a participação do pichador e artista plástico CRIPTA Djan em diversos elementos do filme

Urubus

“Começamos a conversar. Com o tempo a frequência dessas conversas foi aumentando, e a desconfiança (que era uma característica marcante do Djan) foi se transformando em amizade.

Eu perguntei se ele conseguia colocar a história de vida dele no papel, e ele me trouxe uma página na qual já existia uma narrativa forte e emocionante.

Então resolvemos comprar os direitos dessa história, que ele depois transformou nas 96 páginas que serviram de inspiração para URUBUS.”

O filme tem como protagonista o jovem Trinchas (Gustavo Garcez), que comanda um grupo de pichadores, cuja vida irá se transformar ao conhecer Valéria (Bella Camero), estudante de arte, que acaba de se mudar para São Paulo.

Pouco depois, juntos, participam da invasão da Bienal de Arte de São Paulo, onde os pichadores pretendem deixar sua arte e sua marca. A partir desse ato polêmico, os jovens da periferia se tornam o centro de uma discussão sobre o que é a arte.

Urubus

Sinopse

São Paulo. Na quarta maior cidade do mundo, onde a pichação cobre mais muros e prédios do que qualquer outro lugar no planeta, Trinchas comanda um grupo de pichadores que escala os edifícios mais altos para deixar sua marca.

Quando Trinchas conhece Valéria, uma estudante de arte, seus mundos colidem resultando na invasão da 28ª Bienal de São Paulo. A partir de então, a pichação ocupa seu lugar no mundo da arte e o bando de jovens invisíveis de periferia, torna-se protagonista de um polêmico debate cultural.