All for Joomla All for Webmasters

Chameleo faz uma viagem de autodescoberta pela Índia em “Color Blind”

Chameleo

Chameleo faz uma viagem de autodescoberta pela Índia em “Color Blind”

A letra sobre um relacionamento difícil é rito de passagem em clipe do artista curitibano

 

Um trem corta a Índia enquanto Chameleo busca se encontrar após uma desilusão.

Esse é o mote do clipe de “Color Blind”, lançamento independente com ar de superprodução do artista de indie pop. O vídeo, dirigido por Nika Braun, antecipa o EP de estreia do artista.

 

Veja o clipe “Color Blind”: 

 

“Color Blind” traz uma metáfora íntima. Chameleo é daltônico e quis mostrar como, no seu caminho pessoal, enxergamos coisas que talvez não fossem como elas são. Seja na faixa produzida pelo DJ e produtor Rogério Sampaio seja em sua vida, o projeto do cantor e compositor curitibano Leonardo Fabbri é uma eterna metamorfose.

 

“A música é particularmente bem pessoal. Ela fala sobre como passei a enxergar as coisas diferentes após um relacionamento difícil. Uma viagem, que antes seria pensada de um jeito, agora vista com outros olhos”, conta Chameleo. “Procuramos unir as cores das cidades indianas, da natureza, das pessoas, nos visuais, de forma que elas contêm uma história colorida como a cultura hindu, junto à minha descoberta como pessoa e artista”.

 

Desde os 15 anos de idade, sua formação pessoal e artística foi construída como um cidadão do mundo, se mudando de cidade e país.

No meio de um período de estudo e reflexões, ele criou Chameleo, para canalizar em formato de música pop e alternativa todas as transformações que vivenciava e do mundo em sua volta. E sua música agora reflete a ancestralidade em contraste com a modernidade da Índia contemporânea.

 

“A Índia sempre foi um sonho, a mistura de tantas culturas e crenças em um lugar com uma superpopulação visível sempre me despertou muito interesse. A busca espiritual em um lugar como a Índia é quase que óbvia, mas necessária e transcendental”, conta ele.

 

O videoclipe foi gravado nas cidades de Bangalore, Bodh Gaya, Mysore e Varanassi. A direção ficou a cargo de Nika, uma conterrânea de Chameleo que atualmente mora na Índia. Parceira de longa data do artista, ela também dirigiu seu primeiro clipe (“Better Land”), gravado no deserto da Califórnia.

 

Nika tem sua estética marcada por paisagens cotidianas, com cenas equilibradas entre o cantor, seus atos e os lugares incríveis pelos quais Chameleo tinha planos de passar ao lado de um amor. Uma viagem que seria em casal agora é uma busca individual de autoconhecimento. O estilo observacional da diretora também evidencia problemas do país asiático que marcaram muito a experiência de Fabbri.

 

“Comecei a enxergar tudo com uma visão diferente; como damos importância a coisas tão banais, enquanto crianças desnutridas estão implorando por comida? Passei a enxergar o quão privilegiado realmente somos por termos água, moradia. A Índia me transformou como ser e espero que quem ver esse clipe possa sentir esses seres tão lindos e essa terra sublime”, reflete Chameleo

 

“Color Blind” marca um ponto de virada em sua carreira e já está disponível nas plataformas de música digital. Ela antecipa o EP “Utopia Taboo”, que trará faixas em inglês e português e será lançado de forma independente ainda no primeiro semestre.

 

 

Letra:

 

I tend to overflow the space

To reminisce about the time that I self trained

My mind to clear it all and keep on unashamed

Imoral case based on such a big disgrace

My swallowed head screams please go to bed

Call me anxious, you can do that go ahead

Instead, Is getting past the time for me to let you shed

Yes I saw it coming, my head keeps on turning blue

blue, blue, blue will purify you

Baby yeah it’s dark inside

No one has not ever seen you crying

I wanna see it fallen

Your dirty ass tough skin disguise

I know it’s evergreen tonight

But blood is dripping off your hands

You still denies

My colorblinded eyes

Can detect everything behind your lies

I know the feel of dark inside

But we still have the rest of our lives

To find the light, just hold my hand

And promise me you’ll cry

I’m not ready to remark it

Cause I can’t get up from this motherfucking carpet

When you gonna take your shit from my apartment